Segunda-feira, 3 de agosto de 2020
informe o texto

Notícias | Política

MT mantém platô elevado de Covid-19 há duas semanas, alerta deputado

Média diária é de 1.052 casos novos e mais de 50 pessoas precisando de leitos de UTI

28 Jul 2020 - 10:14

midianews

MT mantém platô elevado de Covid-19 há duas semanas, alerta deputado

O deputado Lúdio Cabral, que fez alerta sobre número de casos

Foto: Victor Ostetti/MidiaNews

 

O deputado estadual e médico sanitarista Lúdio Cabral (PT) alertou que Mato Grosso se mantém há duas semanas em um platô com número elevado de casos de covid-19. Ao analisar os dados da última semana epidemiológica, de 19 a 25 de julho, Lúdio observou que a epidemia chegou a um pico no estado na semana anterior, em 11 de julho, e desde então os números têm se mantido em um platô, com média diária de 1.052 casos novos.

“Temos tido nos últimos 14 dias uma média diária de 1.052 casos novos de covid, 40 óbitos e a necessidade de 50 novos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). O pico da pandemia em Mato Grosso pode estar ocorrendo na forma de um platô. Os números mostram que estamos há duas semanas mantendo um platô na curva epidêmica, com número alto de casos”, disse.

Lúdio observou também que houve descontinuidade na alimentação do banco de dados da pandemia em Mato Grosso na semana 29, de 12 a 18 de julho, levando a uma contabilização falha do número de casos de covid-19.

 

O deputado voltou a defender a realização de um inquérito de soroprevalência, com aplicação de testes sorológicos em amostras da população, para verificar o número real de pessoas infectados em nosso estado e se já estamos próximos da chamada imunidade de rebanho.

“A única coisa que evitará uma nova subida no número de casos de covid-19 é se já alcançamos algum grau de imunidade comunitária, a imunidade de rebanho. A própria existência do platô nesses níveis é um sinal de uma taxa de contágio alta encontrando resistência em uma provável imunidade de rebanho. Um inquérito de soroprevalência na população do estado nos ajudaria a responder isso, pois os números oficiais são apenas a ponta do iceberg, uma amostra pequena do número real de casos e ainda sujeita às variações na forma de alimentação do banco de dados estadual”, explicou.

Tiro no escuro

A realização de um inquérito populacional de soroprevalência no atual estágio da pandemia é fundamental para o planejamento seguro de reabertura das atividades econômicas.

 

“A decisão do governador em reabrir as atividades não essenciais é imprudente e intempestiva. A reabertura é um tiro no escuro porque foi feita sem respaldo em informações epidemiológicas. Isso pode prolongar o platô e retardar a descida da curva. Deveria haver um planejamento de reabertura gradativa, com segurança, depois que a curva da pandemia começar a descer, ou seja, quando o número de casos novos da doença começar de fato a cair”, disse Lúdio.

Segundo Lúdio, neste cenário é necessária também a ampliação dos testes RT-PCR e a mobilização da atenção primária para atender e monitorar os pacientes na fase inicial da doença.

 

“Estamos cobrando a adoção dessas medidas há bastante tempo. O governo está perdido. Não cumpriu sua tarefa, que era evitar que o sistema de saúde entrasse em colapso, e agora reabre tudo como uma cartada política e não como decisão respaldada na epidemiologia. Deveria prevalecer o critério técnico e epidemiológico, e a prudência diante de uma doença muito traiçoeira”, disse.

 

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Sitevip Internet